quarta-feira, 17 de outubro de 2007

As últimas...

Já é quarta-feira e não escrevi nada. Incrível como o tempo voa. Ia escrever de noite, mas resolvi escrever agora enquanto vejo uma cena linda: Bady e o pai subindo a rua indo comprar pão. Parece mentira, mas é a primeira vez que os dois saem sozinhos a caminhar pela rua. Confesso: queria ter super poderes e acompanhar cada passo deles!! Realmente, nós mães achamos que os pais nunca vão cuidar direito. Pensei que estava livre disso já que sou tão desencanada...

Estamos ensaiando o desfralde. Bady vinha muito curiosa com o uso do vaso sanitário, querendo sentar, pegando papel para se enxugar, avisando o "tchitchi" e o "totô". Comprei o redutor (ela mesma escolheu) na sexta-feira passada (12/10). Domingo, estávamos sozinhas, acordando, e eu percebi que ela estava fazendo cocô. Perguntei se queria ir no banheiro, e fomos. Ela sentou toda orgulhosa, acabou o serviço, desceu, tentou dar descarga, eu ajudei, e disse "tau, totô"! Mas, o que me surpreendeu foi ela lembrar de contar isso ao Beto quando ele chegou de viagem, umas 2 horas depois. Para variar, foi bem detalhista, até colocou o redutor e sentou.

A chegada do pai foi outra surpresa. Ela sabia que ele iria chegar e já acordou perguntando. Estávamos na cozinha, e ela saiu para a sala. Quando atravessou a porta da cozinha e virou para a TV (que fica perto da porta de entrada), deu de cara com o pai abrindo a porta. Cena linda: alegria e acanhamento! Vê-la feliz correndo pela casa, contando e mostrando tudo, enquanto fala "papaí", é a coisa mas linda do mundo!!

A tarde, fomos para a casa do avô paterno. Mais uma atitude surpreendente. Em nossa casa, não oferecemos para ela biscoitos recheados, sucos artificiais, refrigerantes e outras tantas guloseimas. Quando saímos para comer fora, deixamos que ela beslique nossas sobremessas. Para agradar Bady, o avô comprou biscoito recheado de chocolate e, assim que chegamos, veio todo contente dar o pacote para ela. Minha primeira reação foi não deixar. Depois, refleti: putz, a gente vem muito pouco aqui. Nada radical é bom. Ele vai ficar feliz vendo a neta comendo um biscoito que ele foi comprar especialmente para ela. Deixei, mas decidi não deixar comer o pacote todo, ainda mais que era chocolate, uma coisa que ela não tem o hábito de comer e poderia ter alguma reação orgânica não muito agradável.

O primeiro biscoito acabou: " (seu mais desde 10 meses), vovô". Eu já com medo dela se empaturrar, conversei logo: vai comer mais um apenas. Vai tirar o apetite. Ela ganhou o biscoito, o pacote foi colocado em cima da mesa de centro, e ninguém se tocou de guardar. Supreendentemente, ela acabou o segundo biscoito, procurou logo algo para brincar, o pacote continuou em cima da mesa, e ela não pediu mais! Todos ficaram impressionados com a compreensão dela.

Acabaram de chegar!!

4 Comments:

- Felipe Linhares - said...

.

Ah, não sabia que você[s] tinham um blog. Gostei daqui...

Lendo essas coisas e vendo na rua, no shopping, enfim, a maneira como os pais tratam seus filhos, já fico tentando imaginar como eu serie no papel de "papai". E já fico querendo embarcar nessa logo.

Mas não é tão rápido, nem tão fácil assim. Ai eu seguro a minha onda.
Huahuahauhauhauahuahuaa.

Mas enfim... Parabéns pela filha inteligentíssima. E parabéns pela criação dela. Conheço bady apenas de uma tarde, mas seiq ue ela é especial.

Grande beijo e voltarei sempre por aqui, se não tiver problema.

P.S.¹: Estou linkando teu blog no meu, tá?!

.

Sandra e Evaldo Vicente said...

como vc faz um blog e não avisa?
Beijos

Ana Paula said...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Paula said...

Dally,

A gente se surpreende mesmo com o nivel de compreensao das nossas pequenas, nao e'? Como vc e' tagarela igual a mim, ganhamos na conversa..ahahahah...ou pelo menos, "quase" sempre ganhamos;) Cheiro!